3 dicas para melhorar a segurança na portaria do condomínio
5 (100%) 1 vote

A segurança na portaria do condomínio é um fator de extrema importância, afinal, em tais locais o fluxo de pessoas é, naturalmente, elevado. Tendo em vista a crescente violência nos centros urbanos, os cuidados devem ser redobrados — todas as ferramentas aptas a afastar os perigos do nosso lar são bem-vindas.

Assim, para não deixar que nenhuma brecha coloque em xeque a proteção no seu condomínio, trouxemos, neste post, 3 dicas para torná-la ainda mais eficiente. Confira!

1. Contrate profissionais especializados

O primeiro passo para garantir que tudo funcione de maneira eficiente e organizada em um condomínio é a contratação de profissionais especializados. No caso dos porteiros, por exemplo, antes de assumirem o posto de trabalho, é fundamental avaliar as habilidades deles em:

  • lidar com o público em geral;
  • administrar bem o fluxo de visitantes;
  • utilizar ferramentas tecnológicas;
  • executar procedimentos de segurança;
  • seguir e repassar as normas internas.

O profissional encarregado pela portaria também deve ser bem-humorado no trato com as pessoas, prestativo para assessorar quem entra ou sai daquele local e, especialmente, discreto, tanto dentro como fora do ambiente de trabalho. Estar atento à circulação de pessoal e não compartilhar tudo que acontece em sua rotina contribui bastante para segurança do condomínio.

Portanto, no momento de contratar os zeladores, porteiros e seguranças para o condomínio, valorize a experiência curricular, o investimento do profissional em especializações na área e não se esqueça de buscar por referências.

2. Conte com o apoio da tecnologia

Os avanços tecnológicos representam fortes aliados para a segurança de um condomínio. Por esse motivo, apostar nos recursos que tais sistemas oferecem, certamente, aumentará a qualidade do serviço de portaria.

Nesse sentido, câmeras de monitoramento 24 horas, cercas elétricas, sensores de presença, alarmes e monitores estão disponíveis no mercado.

Atualmente, já é possível, inclusive, montar uma portaria remota, ou seja, não há contato presencial com os porteiros. Para tanto, uma estação de trabalho é criada com todos os equipamentos necessários, de forma que o monitoramento dos ambientes e o atendimento ao público sejam praticados virtualmente.

Outro mecanismo simples, mas que também garante a proteção de moradores e funcionários é a aplicação de uma película espelhada para que os visitantes não consigam enxergar o porteiro. Assim, as visitas não autorizadas podem ser dispensadas pelo interfone mesmo.

3. Tenha um controle de acesso

O controle das pessoas que entram ou saem do condomínio é um requisito fundamental quando se trata de segurança. Independentemente do contato com os porteiros ser físico ou não, sempre é necessário questionar o destino do visitante e confirmar com o morador se ele espera por alguém.

Para aqueles que vão prestar serviços, o mais indicado é preencher um formulário de identificação do profissional, checar documentos que comprovem o vínculo com a empresa fornecedora do serviço e acionar outro colega da equipe de segurança para acompanhá-lo até o destino.

Nesse contexto, o uso de crachás pelas visitas e, principalmente, pessoas que estão a trabalho, também é uma medida bem interessante a ser adotada.

Além disso, a segurança pode ser ampliada pelo emprego das seguintes normas:

  • determinar que encomendas devem ser retiradas pelos próprios moradores na portaria;
  • proibir que funcionários recebam visitas no ambiente de trabalho e, ainda menos, forneçam informações sobre o condomínio a pessoas alheias a esta relação;
  • não autorizar a entrada de pessoas apenas por usarem uniforme de alguma empresa, sobretudo se o serviço não foi requisitado;
  • não permitir que trabalhadores da limpeza tenham cópias das chaves dos portões.

Mais que investir em tecnologias, a segurança na portaria do condomínio depende da consciência e da colaboração de todos os envolvidos. Portanto, as medidas protetivas somente funcionarão se moradores e colaboradores obedecerem às regras básicas, sem abrir precedentes para exceções.

Gostou deste post? Agora que você conhece algumas peças-chave para aprimorar a proteção do condomínio, continue em nosso blog e entenda mais sobre a automatização de condomínios.