Melhores práticas para definir o orçamento do condomínio
Avalie

O item mais importante da administração residencial é o orçamento do condomínio. Afinal de contas, tudo custa dinheiro, e a falta de atenção aos números e planilhas pode acarretar atrasos em obras, prejuízos e até o pagamento de juros e multas.

Neste artigo, você vai conhecer algumas práticas simples que vão ajudar a planejar melhor o orçamento do condomínio, de forma a adequar os recursos às necessidades dos moradores.

Estudar o orçamento do condomínio em anos anteriores

Para resolver um problema é preciso estudá-lo. Ao buscar o histórico de despesas e receitas de anos anteriores, a administração pode aprender muitas lições valiosas. Será que, no passado, o condomínio usou um prestador de serviço que era bem mais barato? Será que a conta de água ou de luz disparou entre uma gestão e outra? Tendo parâmetros, será possível identificar oportunidades de cortar despesas.

Elaborar um plano de manutenção

Prevenir não é só melhor do que remediar: é mais barato. Defina um plano de manutenção para os diferentes equipamentos do condomínio, como elevador, piscina, portão, extintores e instalações elétricas. Os centavos gastos em correções, hoje, poupam os reais gastos em consertos ou peças novas amanhã.

Saber o que incluir no orçamento

O orçamento deve incluir vários itens, inclusive alguns que vão prevenir problemas mais tarde. Os principais são:

  • despesas ordinárias (água, luz, folha de pagamento dos funcionários etc.);
  • fundo de reserva (exatamente para ter dinheiro em caso de emergências);
  • previsão de inadimplência (para a gestão não ficar sem dinheiro caso algumas unidades atrasem o pagamento de boletos).

As planilhas também devem levar em conta as despesas parceladas. Se a gestão anterior comprou um equipamento caro em prestações, elas precisam aparecer nas contas.

Definir prazos

Tão importante quanto definir as despesas é cuidar do fluxo de caixa e dos prazos para realizá-las. O síndico precisa cuidar para que o condomínio tenha dinheiro em caixa nas datas de vencimento das despesas recorrentes. Isso evita despesas futuras com juros e multas.

Discutir nas assembleias

Assembleias ou enquetes on-line podem ser usadas para descobrir ou medir as aspirações dos condôminos. Com isso, a administração pode prever verba para melhorias, troca de equipamentos, reformas e outras ambições.

Definir tarefas

O síndico não precisa fazer tudo sozinho. Pode delegar tarefas com prazos ao subsíndico, ao conselho fiscal e a uma comissão de obras, de modo a ajudar na identificação de fornecedores, no levantamento de preços, na comparação de propostas, e assim por diante. Um sistema organizado também ajuda a eliminar retrabalhos, como dois moradores buscando o mesmo tipo de serviço ou empresa.

Boas práticas na definição do orçamento do condomínio trazem vantagens para o síndico e para todos os moradores. Uma boa dica é automatizar a maior quantidade possível de processos, reduzindo custos e agilizando o atendimento aos condôminos. Assim, a administração gasta menos tempo em tarefas de rotina e pode se dedicar melhor a planejar despesas e escolher investimentos.

Se estas dicas foram úteis para você, está na hora de conhecer uma ferramenta que vai ajudar a colocá-las em prática. Conheça o King Condo, sistema de apoio administrativo e financeiro para síndicos e administradores de condomínio.