3 dicas para resolver conflitos entre vizinhos no condomínio
5 (100%) 1 vote

Viver em condomínio pode não ser fácil. No dia a dia, conflitos entre vizinhos inevitavelmente vão surgir e é preciso ter jogo de cintura e muita firmeza para conciliar e solucionar esses atritos.

Nesse artigo, damos 3 dicas para solucionar as principais causas de desentendimentos entre os condôminos.

Problemas no uso da vaga da garagem

O mau uso das vagas de garagem é um problema comum, mas que pode ocasionar grandes transtornos e irritação. Carros estacionados fora da vaga, utilização da garagem como depósito e danos aos veículos são situações que exigirão do síndico rapidez e firmeza na resolução para que o problema não cresça.

Por exemplo, se alguém estaciona o carro ocupando parte de outra vaga, essa pessoa também precisará ocupar parte da vaga de alguém, gerando assim um problema generalizado. Isso impede a circulação normal na garagem, gera atrasos aos moradores e, com o tempo, fica mais difícil saber quem originou o problema.

Realizar campanhas de esclarecimento, com cartazes de aviso nos elevadores e na garagem ajuda a prevenir essas ações. Se houver câmeras, oriente o porteiro a comunicar a unidade do morador que infringir as regras e solicitar que ele se readeque às normas. Se a prática persistir, não hesite em aplicar advertências e multas de acordo com a Convenção e o Regimento Interno do condomínio.

Barulhos no condomínio

O barulho é o grande campeão de reclamações e todo síndico, cedo ou tarde, precisará lidar com esse tipo de queixa. Há diversos tipos: sons de obras, músicas de festa em volume elevado, gritos de crianças brincando e até mesmo ruídos que vem de fora do condomínio.

Para contornar esse problema e evitar conflito entre vizinhos, é possível pensar em alternativas como restringir o horário em que esse tipo de ruído pode acontecer. Por exemplo, no caso de barulhos de obras, em geral é permitido das 8h às 17h e sons de festas das 8h até às 22h, mas isso pode variar de acordo com o Regulamento Interno. Contudo, existe um limite para a intensidade do som até mesmo durante o dia, e isso é garantido pelo Código Civil.

Existem outras soluções práticas e eficazes. Tapetes e carpetes têm sido utilizados para amenizar o som de saltos altos ou outras fontes que provocam ruídos no chão e incômodo nos andares de baixo. Para moradores que tocam determinados instrumentos, como bateria, pode ser sugerido que seja realizado um revestimento acústico no ambiente em que ele costuma treinar.

Problemas com animais 

O Brasil é o segundo país com maior quantidade de pets do mundo e, por aqui, a população de cães já supera o número de crianças nos lares. Mesmo com muitas convenções proibindo animais nos condomínios, a Justiça costuma dar causa ganha para os proprietários de animais que não representa incomodo ou perigo aos demais moradores. Portanto, o ideal é ter regras claras sobre esse tema para que todos os moradores sigam.

A Convenção deve explicitar, de forma abrangente, o que é permitido nas áreas comuns, como:

  • local onde os animais podem circular; 
  • se podem utilizar o elevador social;
  • o que acontece se o animal fizer as necessidades nas áreas comuns;
  • como serão tratados os barulhos, etc.

Porém é preciso ter atenção para não adicionar à convenção regras consideradas ilegais, como exigir que os moradores transitem com seus pets no colo ou restringir determinadas raças ou portes de animais.

O que você achou dessas dicas? Elas te ajudaram a resolver esses conflitos? Então acompanhe-nos nas redes sociais para receber mais informações sobre gestão de condomínio. Estamos no Facebook, no Twitter e no Linkedin!