Acessibilidade em condomínios: 5 principais adaptações
5 (100%) 1 vote

Você sabia que, segundo o IBGE, 6,2% da população brasileira possui algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida? Por isso, promover a acessibilidade em condomínios tornou-se uma questão obrigatória e garantida por lei, sendo necessário adaptar áreas e providenciar equipamentos, a fim de oferecer autonomia e segurança para qualquer pessoa com necessidades especiais.

No entanto, tornar um condomínio acessível não significa apenas instalar rampas nas áreas externas. Além disso, existem outras reformas e adaptações que precisam ser implantadas para atenderem não somente portadores de deficiência, mas também idosos e crianças.

Como você percebeu, a acessibilidade em condomínios é um assunto sério. Então, confira nossas dicas para tornar o seu prédio acessível para todos os moradores!

1. Faça a instalação de piso tátil 

Para facilitar a locomoção de pessoas com deficiência visual ou baixa visão, é importante fazer a instalação do piso tátil. Contudo, existem dois tipos de pisos que precisam ser instalados no condomínio: o piso de alerta e o direcional.

Geralmente, eles são usados no início e término de escadas ou rampas, os pisos alertas são úteis para “avisar” que existe um obstáculo à frente. Já o piso direcional serve para orientar o trajeto em locais mais amplos e devem ser posicionados tanto na área interna quanto externa do condomínio.

Normalmente, estes pisos possuem textura em alto-relevo e cores contrastantes para auxiliar a locomoção de pessoas com baixa visão, como os idosos.

2. Reserve vagas de estacionamento para idosos e pessoas com deficiência

Conforme decretado por lei, qualquer edifício de uso público ou coletivo deve disponibilizar, pelo menos, 5% das vagas de estacionamento para pessoas com deficiência e idosos. Contudo, para tornar estas vagas acessíveis é fundamental deixá-las próximas à entrada principal ou elevadores, garantindo mais facilidade e segurança a todos.

3. Adapte a calçada em frente ao imóvel

Uma habitação precisa atender todas as necessidades de seus moradores, sendo responsabilidade do condomínio disponibilizar rampas de acesso, elevadores ou outras plataformas acessíveis em frente ao imóvel de cada portador de necessidades especiais.

Além disto, todas as rampas precisam ter corrimões e serem seguras para facilitar o trajeto para cadeirantes, idosos e até crianças, evitando assim que pequenos — e graves — acidentes aconteçam.

4. Mantenha as portas de acesso mais amplas

Pessoas que necessitam da cadeira de rodas para se locomoverem também precisam de portas mais amplas, assim como maçanetas e campainhas acessíveis, além de corredores com largura suficiente para girarem a cadeira quando necessário.

No geral, estes detalhes são importantes por proporcionar maior comodidade aos moradores com necessidades especiais, o que torna sua estadia mais satisfatória e acessível no condomínio.

5. Adapte os banheiros do condomínio

Seja dentro das residências ou nas áreas externas dos condomínios, os banheiros precisam estar adaptados para cadeirantes, mas também para idosos ou pessoas que utilizam aparelhos ortopédicos e próteses, por exemplo.

Desse modo, é crucial que os sanitários estejam próximos das circulações principais, e todo local precisa ter o diâmetro adequado, com dimensões suficientes para atender às necessidades do portador de deficiência física.

Gostou de conhecer melhor o assunto acessibilidade em condomínios? Então aproveite sua visita para nos seguir no Facebook, Twitter e LinkedIn e mantenha-se atualizado com nossos posts!